sábado, 21 de abril de 2018

ANGOLA- A ABERTURA AO ATLÂNTICO; IMPACTO INIAL



A sociedade colonial portuguesa teve o seu início com a chegada dos portugueses no Reino do Congo, nos finais do século XV (1482) caracterizada por uma dominação colonial.
A dominação foi feita em 2 fases:
1º PENETRAÇÃO – A penetração é a fase que vai desde a chegada do português Diogo Cão na Foz do rio Záire até vésperasde 1575.
2º OCUPAÇÃO – Esta fase teve início  em 1575, com a fundação da capitania de São Paulo de Loanda, hoje cidade de Luanda, pelo capitão português Paulo Dias de Novais e termina a 11 de Novembro de 1975 ano da ploclamação da independência de Angola.
RAZÕES QUE CONDICIONARAM E INFLUENCIARAM NA OCUPAÇÃO DO TERRITÓRIO ANGOLANO:
·        Interesses económicos (necessidades de matérias primas, mercados e áreas de investimentos );
·        Motivos políticos (vontade de afirmar o seu poder e força militar através da ocupação de regiões e zonas estratégicas);
·        Razões ideológicas (desejo de divulgar a cultura europeia junto dos africanos.

4.1- O CONGO E OS PORTUGUESES
Os portugueses chegaram acidentalmente ao reino do Congo em 1482, comandados por Diogo Cão e na expectativa de chegar a Índia. A segunda viagem de Diogo Cão ao reino do Congo foi em 1484. Os navios portugueses chegaram ao reino do Congo pelo porto de Mpinda. Contactaram com os habitantes do Soyo e com o próprio Mani Soyo. Assim se teve a notícia, pela primeira vez no Congo da existência de europeus vindos de um reino chamado Portugal.
Os primeiros contactos estabelecidos eram relações de amizade, relações comerciais e diplomáticas. Em 1489 foi enviada para Portugal o primeiro embaixador do Congo (relações de amizade, comerciais e diplomáticas).
O Ntotela, rei do Congo Nzinga Nkuvu, foi baptizado em 1491 em Mbanza Congo, tendo adoptado o nome cristão de D. João I do Congo. Muitos bakongos foram mandados para Portugal, para receberem instrução portuguesa.
O objectivo preconizado pelos portugueses no reino do Congo eram:
·        Manter relações comerciais com o reino e consolidar a sua conquista;
·        Converter aquele reino ao cristianismo, permitindo assim a sua expansão.

4.2- O INÍCIO DO TRÁFICO DE ESCRAVOS: O PAPEL DOS COLONOS DE SÃO TOMÉ E OS NOVOS RUMOS DA ESCRAVATURA

Desde 1493 procedera-se ao povoamento da Ilha de S. Tomé por degradados desterrados portugueses. Este povoamento vei promover contactos mais frequentes dos portugueses com a costa ocidental Africana, tendo em vista fornecer à Ilha a mão-de-obra necessária ao cultivo da cana-de-açucar e mais tarde, a produção do cacau.
S.Tomé tornou-se também um ponto de escala (transito) na rota das Índias e das Americas, depósito de escravos e prisão dos condenados. Mais tarde os contratados eram enviados para esta Ilha, servindo de mão de obra escrava. O cultivo da cana de açucar provocou o enriquecimento rápido dos colonos (desterrados) ali fixados.

Sem comentários:

Enviar um comentário