sexta-feira, 1 de abril de 2011

CONTEXTO SOCIO-POLÍTICO E HISTÓRICO DA REGIÃO DA ÁFRICA AUSTRAL NO PERÍODO DE 1970 - 1994

 Face a recusa de Portugal em promover a descolonização, iniciou-se na decada de 1960, a Luta Armada nas colonias portuguesas. Era o inicio das guerras coloniais.

Portugal possuia duas colonias na região da África Austral - Angola e Maçambique,que começaram através de seus Movimentos de Libertação, a FNLA, o MPLA e a UNITA (em Angola) apartir de 1961 e a FRELIMO(em Moçambique) apartir de 1964 a Luta Armada.

As guerras coloniais levaram ao isolamento do regime português, quer a nivel interno, quer a nivel internacional, conduzindo o regime a uma situação incomportavel e intolerável. O arrastamento das guerras e o elevado número de vitimas iriam contribuir para a queda do regime fascista em 1974. A queda do governo fascista portugues foi uma consequência das guerras colónias.

Portugal voltou a ser um pais democrático, abrindo caminho para o início do processo de descolonização de Angola e a criação de condições para o debate.

Os Movimentos de Libertação de Angola, declararam imediatamente que só aceitariam negociar com as autoridades portuguesas se estes reconhecerem o Direito a Independência de Angola a curto prazo.

Começavam, entao, as conversações entre as partes - governo de Portugal e a parte angolana representada pelos três (3) Movimentos de Liberatação (FNLA,MPLA e UNITA). Em Junho de 1974, na conferência de Lusaka, e em Agosto do mesmo ano, nas Nações Unidas, foram dados os passos decisivos para o processo de descolonização que levaria Angola a independência.

3 comentários:

  1. CONTEXTO SOCIO-POLITICO E HISTORICO DA REGIÃO DA ÁFRICA AUSTRAL Face a recusa de Portugal em promover a descolonização, iniciou-se na decada de 1960, a Luta Armada nas colonias portuguesas. Era o inicio das guerras coloniais.

    Portugal possuia duas colonias na subregião da África Austral - Angola e Maçambique,que começaram atraves de seus Movimentos de Libertação, a FNLA, o MPLA e a UNITA (em Angola) apartir de 1961 e a FRELIMO(em Moçambique) apartir de 1964 a Luta Armada.

    As guerras coloniais levaram ao isolamento do regime português, quer a nivel interno, quer a nivel internacional, conduzindo o regime a uma situação incomportavel e intolerável. O arrastamento das guerras e o elevado número de vitimas iriam contribuir para a queda do regime em 1974; e em 1975 Angola e Moçambique tornavam-se Estados independentes.

    ResponderEliminar
  2. NO CONTEXTO SÓCIO-POLÍTOCO: no Início da Década 70 a África Austral estava sub dividada em dois grupos de países:

    Os países da Linha da Frente Constituído por: Zâmbia (Kennet Kaunda), Tanzânia (Julius Nyerere) e Botshuana. E pelos países que lutavam pelos regimentos que ocupavam ilegalmente os seus territórios (Apartheid e Fascismo) no caso de: Angola, Moçambique, Namíbia, Zimbabue e África do Sul.

    Os países da Linha da Frente ajudaram em massa os países que estavam sob domínio colonial. Com a queda do regime Salazarista em Portugal (Revolução dos Cravos aos 25 de Abril de 1974), em Angola e Moçambique criou-se um Estado de Transição. O alcanse da independência destes dois países veiu dar um sangue novo aos Países da Linha da Frente.

    Angola ajudou a Namíbia no alcanse da sua Independência por intermédio da famosa Batalha do Cuito Cuanavale, pondo assim o ultimato ao regime de Pieter W. Botha e a consequênte liberdade de um dos grandes líderes de África (Nelson Mandela).

    Moçambique por intermédio da FRELIMO ajudou o Zimbabue a combater pelo regime de Apartheid que vigorava naquela região, coadjuvando-lhes com armamentos e alimentação.

    ResponderEliminar